Comentário fílmico – The idea had been growing in my brain.

O regresso mentalmente perturbado de um ex-combatente de guerra à sua cidade. Uma situação comum.

Scorcese decide reformular. Taxi Driver. O mesmo regresso, de um ex-marine do Vietname, numa cidade americana dos anos 70. Um panorama tão ou mais caótico que a própria guerra.Quando a luta no Vietnam “acaba” apenas “começa”. Travis, jovem, possui aspirações de um trabalhador de colarinho branco “organiz-ized”, mas o seu futuro limita-se apenas a um leque condicionado que a sociedade a que retorna consegue oferecer.Ser taxista, dá-lhe uma proximidade ao terreno tão semelhante à de um marine no campo de batalha. Exige-lhe imparcialidade quando as ruas revelam o seu lado mais cru.

Too much abuse has gone on for too long. (…) The idea had been growing in my brain for some time. True force. All the king’s men cannot put it back together again.

Nesta sequência fílmica que foca a transformação de Travis, a possibilidade do espectador poder acompanhá-la gradualmente, torna-a pessoal. A auto-disciplina, só reforça a existência de uma nova guerra que não se trava com forças da ordem, mas que se cura primeiramente por dentro, reerguendo valores que incluam um espaço e respeito por todos numa sociedade cada vez mais segmentada e com novas realidades. Civis e militares. Negros, mulheres, gays. Uma realidade que muda tão rápida e drasticamente em paralelo com a crise de uma guerra, torna a adaptação e aceitação um problema de tolerância e cedência de quem chega e de quem recebe.O problema é demasiado complexo para ser verbalizado. Nas palavras perde-se o sentido que quem ocupa a linha da frente consegue ter acesso. E nesta verdadeira inexpressão, além da decadente manifestação dos factos, a luta acaba por fazer-se por conta própria, pois a luta não saíndo à rua, não cessa dentro das pessoas.Travis tenta assasinar Palantine assim como Arthur Bremer tenta assasinar George Wallace, e aqui, realidade e ficção fundem-se revelando a política como uma carta fora das soluções para mudar os sistemáticos acontecimentos. Esta é tão decadente quanto a decisão de se fazer uma guerra, e em consequência ou causa, nenhuma das personagens parece saber realmente a sua influencia no meio.E assim, nas ruas, cada dia é vivido como o último. Governa o que maior proveito consegue tirar de cada dia, tirando as chances do outro e da possibilidade de um futuro para todos. Mesmo a tentativa de assasinato de Arthur e de Travis deriva apenas da necessidade de reconhecimento pessoal.

Maybe it didn’t go down exactly like it was supposed to, but the result had been achieved. Wallace was dead. He had to be. He was sure he had been hit three times, maybe more. He had done it. Everyone would now know the name Arthur Bremer. And even if he died here, he would forever live on in the words…Damn it.He forgot to say – a penny for your thoughts.

Esta sequência, demonstra a transformação da representação das ruas americanas. De um modo que esconde os podres da sociedade, passa-se a um estilo mais explícito mas também menos tirânico.  As minas esquecidas do Vietnam, nas ruas americanas, a meu ver, não são transmitidas nos planos das ruas, mas através do monólogo de Travis, dos pensamentos que se fazem ouvir antes e durante cada acção.Travis é o anti-heróis e o bom desfecho que se quer em prol do herói e do alienado e descontextualizado final feliz. Pela exposição dos seus pensamentos, Scorcese torna a sua mensagem intemporal.

__________________________________

Género: Drama, Crime, Thriller

Direcção: Martin Scorsese

Roteiro: Paul SchraderElenco: Robert De Niro, Albert Brooks, Beau Kayser, Bill Minkin, Bob Maroff, Brenda Dickson, Copper Cunningham, Cybill Shepherd, Diahnne Abbott, Frank Adu, Garth Avery, Gene Palma, Gino Ardito, Harlan Cary Poe, Harry Cohn, Harry Fischler, Harry Northup, Harvey Keitel, Jodie Foster, Joe Spinell, Leonard Harris, Maria Turner, Martin Scorsese, Murray Moston, Nat Grant, Nicholas Shields, Norman Matlock, Peter Boyle, Peter Savage, Ralph S. Singleton, Richard Higgs, Robin Utt, Steven Prince, Victor Argo, Victor Magnotta

Produção: Julia Phillips, Michael Phillip

Fotografia: Michael Chapman

Banda Sonora: Bernard Herrmann

Duração: 113 min.Ano: 1976Distribuição: Columbia Pictures

_________________________________________________

http://www.absolutecrime.com/the-real-life-taxi-driver-a-biography-of-arthur-herman-bremer-the-real-inspiration-of-travis-bickle.html#.Vn_-_FSLTIU

Biskind, Peter, Easy riders, Raging bulls: How the Sex-Drugs-and-Rock ‘N Roll Generation Saved Hollywood.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s